Página em branco com pensamentos, poesias, fotografias, filmes, músicas, pinturas.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Aviso aos navegantes


Só tem uma coisa mais
perigosa que sonhar.
Acorde e verá.

(Scheilla Franca)

terça-feira, 3 de julho de 2012

Um fantasma


Me sinto viva
nos museus, até o coração
Lança vida

Sobre meus olhos
Pelos meus braços
Os meus pés

Eles caminham
Tropeçando.
Eu ouço todos vocês,
Mas o que eu digo?

Sou um fantasma
Entre vivos
Sou viva
Entre livros.

(Scheilla Franca)

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O gato


Como é belo o quadro diante de mim!
Crianças de mãos dadas
Aos pais que sabem
criar laços

de todas as cores.
Azuis são as fitas no cabelo
das meninas que voltam do
colégio.

Como é belo o gato diante de mim!
E eu sentada à beira do banco
Como apenas quisesse
Viver um pouco da cor

De um quadro que não é meu.
O gato me olha de frente
com silêncio
E respostas que sei de cor.

O gato é cinza.
E também não é de lá.

(Scheilla Franca)

domingo, 1 de julho de 2012

Medianeiras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual (2011)



Um filme recém assistido... sobre um sentimento antigo: a solidão.
Recomendo muito. Não tem como não se identificar com Martín e Mariana e seus modos estranhos (e cada vez mais comuns) de viver.

Fica a dica.


Primeiro de julho


Se não me falha a memória
Eu morri três vezes
Só este ano.

E é metade do ano.
Sou inteira porque não posso ser metade.
Quantas vezes ainda morrerei?


Deixo de fingir: sou metade, sim.
Não por vontade
Mas por não ter força de nascer.

Um roseira de galhos frondosos
Nasceu sobre meu túmulo
Em uma de minhas mortes

Se não me falha a memória
Era vermelha e forte
E ressaltava ainda mais a palidez 

de minha segunda sorte.

(Scheilla Franca)